Fui buscar a Laura numa baladinha e ela veio toda assanhada, rindo e trocando mensagens pelo Blackberry. “O que foi, Lau, que você está tão feliz? Você ficou com alguém?”
“A-ham”, respondeu sem nem tirar os olhos do celular.
“Que nojo! Você fica beijando esses meninos de quem você nem gosta!”
E ela: “Mãe, se eu gostasse, eu namorava. Como eu só acho bonito, eu beijo.”

Outro dia ela me perguntou:“Mãe, o que é mais forte: estar apaixonado ou amar?” Eu, que sempre tenho uma resposta pronta pra tudo na vida, respondi sem pensar: “Ah, paixão é muito mais forte do que amor.” O carro, cheio de meninas de diferentes idades, seguiu em absoluto silencio.

“Mãe, terminei o namoro com o Lucas e ele me fez o maior desaforo no Facebook! Me chamou de vadia e tudo!”, contou quase chorando.
Tentei consolá-la: “Que horror, Lau. Mas não esquenta, é pura dor de cotovelo.”
E ela desesperada: “Mas 132 pessoas curtiram!”