Ela fumava na calçada, na porta da empresa, no Jardim Botanico. Tinha saído um bocadinho para aliviar a tensão de processos profissionais e pessoais que estava vivendo. Gente que fuma há muitos anos precisa dessa senha sensorial, a tragada, para encontrar soluções inteligentes. Notou os dois rapazes “meio uniformizados” a poucos metros olhando enviezado, checando a situação. Disfarçou e segurou firme o celular. Eles continuavam ali observando cada gesto dela. O coração disparou quando se movimentaram na sua direção. Jogou fora o cigarro, apagou rápido com o pé e preparou-se para o pior. “Boa tarde, somos funcionários da Comlurb, do Programa Lixo Zero, e vamos lhe aplicar uma multa por conta da bituca de cigarro que a senhora jogou na calçada”, um deles comunicou educadamente enquanto o outro sacava o bloco e anotava os dados da infração.
“Cento e cinquenta e sete reais não é nada perto do que achei que aconteceria. A multa veio na hora certa. Fiquei aliviadíssima.”