img_5868

Abençoe-me, padre, porque eu pequei. Minha ultima confissão foi há um ano. Eu havia me envolvido com um homem que não o meu marido e o senhor me perdoou. Lembra-se?

E agora?

Agora me envolvi com outro.

A senhora está arrependida?

Na verdade, não. Mas posso me arrepender porque ele é um idiota. Desculpe a linguagem.

Sem arrependimento a confissão não tem valor. Ponha a mão na consciência, reflita sobre o seu erro e quando puder prometer a Deus que não o repetirá, a senhora volta aqui.

Não posso prometer nada. Aí já seriam dois pecados. Não sei se é fraqueza ou uma força descomunal, mas não consigo me controlar quando um homem interessante me dá moral.

Se a senhora tem fé, encontrará uma forma de vencer a tentação. Combata a vontade da carne com fervor. Liberte-se dos baixos instintos para a salvação da sua alma.

O senhor fala em carne e eu já fico cheia de vontade. Para mim, essa é a mais alta forma de amor, a entrega de corpo e alma.

Não vou discutir seus desejos e seu conceito mundano de amor, mas saiba que basta desejar para estar em pecado. A Santa Escritura já dizia: Todo aquele que lançar um olhar de cobiça para uma mulher, já adulterou com ela em seu coração. Se teu olho direito é para ti causa de queda, arranca-o e lança-o longe de ti, pois te é preferível que se perca um dos teus membros do que seja todo o teu corpo lançado no inferno.

Hahaha! O texto só se dirige aos homens, estamos perdoadas! Desculpe a piada. Com todo o respeito, padre, pelo que diz aí, deveríamos ser todos castrados. Ou o senhor acredita que algumas partes do corpo são diferentes de outras? Que olhos e ouvidos foram mais divinamente criados que o sexo? O senhor acha que algumas partes do corpo são menos dignas de Deus do que outras? Foi o que perguntou Flória Emília, a concubina, a Santo Augustinho e não teve uma resposta.

O pecado cometido por malícia, por escolha deliberada do mal, é o mais grave. Quando deixar de lado esses questionamentos impuros e entregar sua vida a Deus, me procure.

Meu joelho está doendo. Vou desocupar a fila. Estou vendo o numero de irmãos e irmãs atormentados pela culpa aguardando a sua absolvição. Só não vou embora assim. Abri meu coração, falei da minha angustia, mostrei minha calcinha furada. Agora, por favor, faça a sua parte. Me liberte dessa pecha.

Quem absolve é Deus. Eu sou apenas um mediador. Sua penitencia são cinquenta Pais Nossos e trinta Ave Marias. Uma semana de jejum e quinhentos reais de esmola para os pobres da Igreja.

Mas no ano passado o senhor me pediu muito menos!

Pecador reincidente tem a penitencia dobrada. Agora faça o ato de contrição.