E os amores??
Auditados??
Aquietados?? Odeio essa merda de corretor!
Achei injusto o amigo xingar o corretor nesta mensagem que mandou para mim. Faz todo sentido numa certa altura da vida perguntar se os amores estão auditados. Eu responderia, sim, meus amores foram analisados, revistos, discutidos. Não só pelo filtro freudiano, jungiano em incontáveis sessões de terapia ao longo dos anos, como pela escrita, onde confessei meus pecados e fiz deles minha literatura. Sobretudo, auditei com Deus, mortificada pela culpa dos tantos prazeres que esses amores me deram. Então, meu amigo perguntaria se estão aquietados. E eu diria que aquietar os amores significa acalmá-los, aqui o corretor concordaria, e isso eu não tenho intenção de fazer nem agora nem nunca. Ao contrário, chego pertinho, cutuco, rego com água fresca, dou uma chacoalhada e se cair alguma coisa, folha ou fruta, sinal de que está vivo em algum lugar da memória, deixo que me atormente um pouco que é para ter certeza de que estou viva também.