– Foi aí que você resolveu participar da corrente espiritual da nossa catedral, irmão?
– Foi, pastor, tava tudo dando errado na minha vida. Minha mãe morreu, separei da esposa, minha sócia no salão não queria que eu trabalhasse feminino, só masculino nunca deu dinheiro, e foi quando eu sofri o acidente. A carreta de um caminhão carregado de areia abriu e me enterrou em frente do salão, os clientes tudo viram. Tou com dezoito pino no corpo.
– E agora sua vida deu uma reviravolta, irmão?
– Deu, pastor. Casei de novo, minha esposa, a mãe dela, foi quem me apresentaram para a Glória do Senhor na igreja, Deus abençoou minha sócia levou ela prá outro salão, ampliei o meu pro feminino e estética, deu até prá comprar um Golzinho, é velho, mas é meu. Em nome de Jesus não saio mais da corrente perimetral.
– Espiritual. Amém?