Luna, Marina e Oceane são os nomes das filhas do marinheiro francês. Achei bonito ele trazer para casa o que, de outra forma, não possui. Ser, por decreto, pai do infinito, senhor dos mares e do céu, dono do impossuível. Mas em breve, as suas meninas também serão o irrefreado, o mutante, o ingovernável. E de novo o marinheiro francês será só um homem levando o barco.