Empolgada com o clima dos últimos encontros, pediu à depiladora que fizesse um coração. Pequeno, simples, o mais barato do catálogo. A mulher foi, mexeu, puxou, errou na curva, consertou, exagerou e terminou desenhando uma caveira peluda, escavados olhos, nariz e boca na vertical. O fim onde deveria estar o começo de tudo. Experiente na coisa, já teve o escudo do Flamengo e um rabo de sereia delineados com cera quente quando outras ocasiões pediram, não se deixou abater com a barbeiragem da profissional. Assumiu a caveira cabeluda entre as pernas em atitude hard core, lingerie de couro preto, dominadora, agressiva, acatando o que o destino birrento mais uma vez aprontava para ela. Enxugou as lágrimas. Acertou com a pinça os pelinhos desalinhados. Romance é para os fracos.