Foi ao banco acertar a última das 36 parcelas do carro. A funcionaria do caixa, dando-se conta da importância do momento, parabenizou-a em voz alta de tal forma que todo mundo ali ouvisse e então seguiu-se uma gritaria nas filas, preferenciais e comuns, nas mesas dos gerentes, entre os motoboys, o cliente preso na porta giratória, a turma dos boletos, a do cheque especial, a da senha cancelada, a que não confia na internet. No alto do seu posto, imagino, o vigilante arriscou uma sambadinha contida também. A vitória dela era a de cada um ali. Com as bochechas vermelhas de vergonha e alegria, voltou correndo e foi direto para o fogão, fez um bolo de chocolate e brigadeiros, que é como ela sabe comemorar. A Milene, que trabalha aqui em casa.