– Luisa, fico triste pensando em você sozinha aí em Berlim.
– Mãe, eu não me sinto sozinha.
– Monstro ingrato! Igualzinho como quando você era bem pequena e foi dormir pela primeira vez fora de casa. Eu perguntei:
-Sentiu saudades da mamãe?
E você, com a carinha mais angelical do mundo:
-Não.