O louco nunca está sozinho. Ele tem aqueles amigos todos conversando na sua cabeça, uma festa ininterrupta. Mesmo quando ele apaga a luz e deseja dormir, aquela gente não vai embora, não pára de falar. Todo mundo tem medo de estar sozinho. Mas os loucos, eles vivem nas cabeças de outros loucos, tratando de nunca deixar a festa acabar porque a festa é a garantia da companhia. Uma vez, há muito, ficou um silencio danado na sua cabeça e ele se desesperou. Fez força para lembrar os rostos, as vozes, apertou os olhos, chamou, chamou e não apareceu ninguém. Foi o maior medo da sua vida. O de sobrar só ele no mundo. Quis entrar na cabeça de alguém. Pegou o martelo e deu com força, abriu a cabeça do amigo e, que desastre, não tinha ninguém lá!