Ficou na casa com o cachorro e o gato, encolhido na cama larga, meio shampoo, meio sabonete, meia pasta de dente. As datas marcadas na folhinha sem pista. A empregada esperando instrução. Correu os olhos pelas almofadas, vasos, luminárias, porta-retratos, o sentido ficava longe dali. Tinha seguido com ela nas suas opiniões, desejos e necessidades. Achou o controle remoto no sofá e sentiu-se reconfortado, acolhido. Ligou a TV e a vida seguiu.